Subsídio concedido pelo IEFP

Subsídio do IEFPUm funcionário trabalha numa empresa constituída através do programa PEOE (Programa de Estimulo à Oferta de Emprego) do IEFP.

Após concedido o investimento e, tendo já recebido algumas tranches desse mesmo investimento, como é que são contabilizadas?

Resposta

Através do PEOE (Programa de Estímulo à Oferta de Emprego), o Instituto de Emprego e Formação Profissional visa estimular a criação líquida de postos de trabalho, apoiando as entidades que celebrem contratos de trabalho sem termo, a tempo inteiro.

Para tal, atribui subsídios não reembolsáveis (fundo perdido) por cada posto de trabalho a criar, desde que as entidades beneficiárias se comprometam a manter o nível de emprego atingido por via do apoio a conceder, pelo prazo mínimo de 4 anos.

É entendimento aceite que os subsídios atribuídos para a criação de postos de trabalho são considerados subsídios à exploração, entendendo-se como tais as verbas concedidas à empresa com a finalidade de reduzir custos ou aumentar proveitos, sobre cuja atribuição ao exercício não se ofereçam dúvidas.

O reconhecimento dos subsídios atribuídos para a criação de postos de trabalho, quando a entidade fica obrigada a manter esses postos de trabalho por um determinado período de tempo, podem e devem ser diferidos ao longo desse período, cumprindo-se dessa forma os princípios contabilístico e fiscal da especialização dos exercícios e da periodização do lucro tributável.

Assim, sendo obrigatória a manutenção dos postos de trabalho por um período mínimo de 4 anos (48 meses), procede-se da seguinte forma, em termos contabilísticos: Cada vez que se recebe uma tranche do subsídio, debitamos uma conta de disponibilidades (12 – Depósitos à ordem) e creditamos a conta 2749-Outros Proveitos Diferidos pelo montante do subsídio a diferir no tempo e/ou a conta 741-Subsídios à Exploração caso haja subsídio a imputar ao próprio exercício económico.

A conta 2749 será debitada em cada um dos 4 anos (duração mínima dos contratos de trabalho no PEOE) por crédito da conta 741-Subsídios à Exploração-Do Estado e Outros Entes Públicos. Em termos da imputação temporal dos subsídios, a cada mês de realização de cada contrato de trabalho corresponderá: Valor Global do Subsídio para aquele Posto de trabalho/48.

Dívida : desconto é considerado custo fiscal ou perdão de dívida

Um cliente tem uma dívida para com uma empresa no valor de 200.000 euros.

Para receber alguma parte da dívida, a empresa fez um acordo com o cliente, no qual lhe fez um desconto de 10% em relação ao total da dívida.

Este desconto é considerado custo fiscal ou não?

Poderá ser considerado perdão de dívida?

Resposta

Nos termos do artigo 23º do Código do IRC, são dedutíveis para efeitos fiscais os custos que forem comprovadamente indispensáveis para a realização de proveitos ou ganhos sujeitos a imposto ou para a manutenção da fonte produtora.

A dedutibilidade dos custos está assim dependente da comprovação quer da efectividade, quer da indispensabilidade dos custos, a qual impende sobre o contribuinte. Este, tem que provar perante os serviços da Administração Fiscal não só a existência dos custos mas também a sua indispensabilidade para o exercício da respectiva actividade.

Um dos elementos que atesta a efectividade do custo é a existência do seu pagamento, ou seja, o comprovativo de que o contribuinte suportou, efectivamente, o encargo.

Assim, um custo efectivo e indispensável deve ser relevado contabilística e fiscalmente de acordo com as regras gerais de especialização. Exige-se, no entanto, que o encargo seja efectivo e que a empresa suporte, de facto, esse encargo.

Os artigos 42º e 33º do Código do IRC demonstram os encargos que não são dedutíveis para efeito de determinação do lucro tributável, mesmo quando contabilizados como custos ou perdas do exercício.

Esta situação deverá ser considerada contabilisticamente como um custo extraordinário e como não está contemplada nas diversas alíneas destes mesmos artigos referidos anteriormente este custo deverá ser considerado um custo fiscal. Contudo, compete sempre à empresa comprovar a sua efectividade e que o referido custo é indispensável para a realização de proveitos ou ganhos. Verificando-se que estes requisitos são cumpridos o custo é aceite fiscalmente.

Cotação do ouro : a onça contínua a aumentar

O metal amarelo contínua a subir! Esta agora em quase 1380 dólares a onça. O Ouro esta a negociar-se no mais alto nível desde quase dois meses. Este aumento e impulsionado pelo enfraquecimento do dólar e o aumento da quantidade de ouro feita pelos maiores ETF do mundo.

Os ativos mantidos pelos Trust Fund GOLD SPDR subiram de 0,5% para 915,3 mil toneladas na semana passada. A situação muito tensa no Egito, também ajuda a apoiar o preço do ouro em alta. A onça subiu 0,2% para 1.374 dólares nos câmbios eletrónico no Comex.

Banco Central do Brasil suporta o real

Para reduzir as pressões inflacionárias no país, o Banco Central Brasileiro, interveio ontem para acabar com uma série de seis sessões de queda consecutiva do real. A moeda terminou com ganho de 0,14%, para 2,0088 reais por dólar. Foi o próprio ministro das Finanças do Brasil que inventou o termo “guerra cambial”, a corrida para o enfraquecimento das moedas.

Taxa de cambio do Dolar en função do Real

Taxa de cambio do Dolar en função do Real

Se quiser saber qual e a taxa de câmbio de hoje, consulte o site conversordolarreal.com

Conversor de libra em euro

Gosto de passar o meu tempo à procura de pequenos sites ou ferramentas on-line que facilita-o a minha vida todos os dias. Como eu trabalho na domínio do comércio, muitas vezes sou chamado a fazer conversões de moedas. Eu também já compartilhei com vocês duas outras ferramentas para fazer conversões de dólares para euros.

Agora venho de encontrar outro site com do mesmo proprietário para fazer a conversão de libras em euros. A aplicação e online e totalmente gratuita.

Também estou procurando uma ferramenta de conversão de medidas rápidas e fáceis, mas infelizmente eu ainda não encontrei. Uma vez feito isso, eu também vou compartilhar o link com você. Vamos então lá ver, bom dia a todos.

Ouro : O metal amarelo em todas as frentes

A refinaria alemã Heraeus-fundador disse recentemente que esperava-se que “as importações indianas de ouro vão cair em cerca de 25% este ano“. A declaração surge no contexto de uma correção na crise de metal amarelo e da crise generalizada da economia mundial.

Um dos maiores importadores de ouro no mundo vai reduzir o seu consumo de um quarto ? Só o tempo dirá. Em qualquer caso, a resposta vai ser revelada em breve como a época dos casamentos que já começou na Índia, em quando o clima económico mundial é particularmente favorável. O valor da rupia indiana está aumentando, tornando a relíquia bárbara mais acessível para os compradores indianos.

Além disso, deve notar-se que as posições relativas dos derivados de ouro Comex recentemente passou ao seu nível mais alto desde Agosto de 2011. Lembre-se, então, um mês depois, o ouro estava em seu ponto mais alto de todos os tempos em dólares (1.921 dólares por onça).

Finalmente, note que na ETF, a quantidade total de ouro permanece na vizinhança de 82 milhões de onças (ou 2.547,8 toneladas), particularmente perto de seu recorde histórico registado em 25 de setembro 2012. Até onde vai ir o valor do ouro em 2013?

Simulador de credito automovel

Como obter um crédito automóvel

Quando decide adquirir um novo automóvel existem diversos fatores que deverá ter em consideração, mas um dos fulcrais é o tipo de crédito que irá solicitar.

Atualmente o poder de compra dos portugueses não permite, pelo menos à maioria da população, comprar um carro a pronto, de forma que recorrer a um crédito é a única opção disponível. Antes de optar pelo crédito automóvel deve ponderar no veiculo a adquirir pois os valores de um automóvel novo podem variar bastante.

Os simuladores de crédito automóvel são a ferramenta indicada para saber exatamente quando irá pagar por mês, utilize esta ferramenta e planeie bem o seu mês de forma a não ter surpresas.

Crédito automóvel com reserva de propriedade

Este é o tipo de crédito mais utilizado por particulares para adquirir uma viatura nova, no entanto também estão disponíveis as modalidades leasing e aluguer de longa duração.

O crédito automóvel é o mais utilizado pela simplicidade de procedimentos. Neste tipo de crédito, o veiculo fica normalmente alocado à financeira que concedeu o crédito até terminar de liquidar o crédito. Assim que todas as prestações estejam pagas é emitido um documento pela entidade para que possa alterar o registo de propriedade para seu nome.

O crédito automóvel apenas pode ser utilizado para aquisição de um veiculo, ou seja, é necessário apresentar ao banco comprovativos da compra do automóvel, de forma que não poderá utilizar o crédito automóvel para outras despesas.

Entrada inicial, modalidade, prazo e pagamento final

O crédito automóvel é um pouco mais complexo que o crédito pessoal pois tem mais informações que necessita de preencher.

Enquanto que no crédito pessoal basta indicar o montante que pretende e em quanto tempo prevê pagar, o crédito automóvel tem mais opções disponíveis, uma vez que o montante será também superior.

Poderá dar uma entrada inicial de forma a reduzir o valor das prestações, bastando colocar o valor que pretende. Nas modalidades, poderá escolher entre taxa fixa e taxa variável, sendo que a fixa por conter menos risco, tem tendência a ser mais elevada. Poderá escolher o prazo tal como crédito pessoal e ainda o pagamento final, valor que reservará para o final do empréstimo com o objetivo de reduzir o valor das prestações, tal como na entrada inicial.

Onde realizar um crédito automóvel?

  • BPI
  • BES
  • Millennium Bcp
  • Flexibom

Além das entidades apresentadas, poderá ainda simular um crédito automóvel no stand onde pretende adquirir o veiculo, pois estas empresas têm acordos com várias financeiras. Sugerimos que consulte sempre mais do que uma hipótese para garantir que consegue as melhores condições.